Voltar

24 de outubro 2017

Vale bate recorde de produção no 3º tri

Impulsionada pelo bom desempenho em Carajás, no Pará, a produção de minério de ferro da Vale atingiu volume recorde no terceiro trimestre, e alcançou 95,1 milhões de toneladas, 3,3% acima de igual período de 2016. O mercado considerou o resultado dentro das expectativas. Nas outras áreas de negócios da mineradora, também houve melhorias, caso do níquel e do cobre, nos metais, e do carvão. No relatório de produção divulgado ontem, a Vale reconheceu que os volumes de vendas de minério de ferro para o terceiro trimestre foram menores do que os volumes de produção, levando a um "leve" aumento dos estoques como resultado de necessidades operacionais e estratégias de mercado. Os números de vendas serão conhecidos na quinta-feira, quando a empresa divulgar o balanço financeiro do terceiro trimestre. A corretora Itaú BBA, por exemplo, projeta vendas de 90 milhões de toneladas para o período. Essa projeção, se confirmada, indica uma relação entre o volume produzido e o volume vendido de 94%, acima da relação do segundo trimestre que situou-se em 89% (produção de 92 milhões de toneladas de vendas de 82 milhões de toneladas). Um aspecto relevante, na visão da corretora, é que os impactos para a Vale da formação de estoques no exterior, sobretudo na China, perto dos clientes, chegam ao fim no terceiro trimestre.

A Vale afirmou que os estoques "offshore" chegaram a 30% em relação ao estoque total no terceiro trimestre, o dobro do verificado em 2015 e em 2016, de 15%. "A expectativa é de manter os 30% do total do estoque offshore até o fim de 2017", informou a empresa. A Itaú BBA disse em relatório que o fato de os estoques "offshore" terem chegado em 30% dos estoques totais no terceiro trimestre (o percentual foi de 28% no segundo trimestre) significa que os volumes de vendas podem ficar mais próximos dos volumes de produção nos próximos trimestres. A Vale também reafirmou no relatório que a produção de minério de ferro para 2017 deve ficar próxima do "piso" da meta fixada para o ano, que é entre 360 milhões e 380 milhões de toneladas. A empresa enfatizou que a decisão de ficar no limite inferior da banda está em linha com a estratégia de privilegiar margens ao invés de volumes nas operações de minério de ferro. Como resultado, a Vale cortou 19 milhões de toneladas, em base anualizada, de minérios com alto teor de sílica, em Minas Gerais.

No terceiro trimestre, foi determinante para o recorde no minério de ferro a produção de 45 milhões de toneladas em Carajás, 16,4% acima do mesmo período do ano passado. O crescimento da produção do S11D, inaugurado no fim de 2016, contribui para o resultado. No níquel, a produção alcançou 72,7 mil toneladas, alta de 10,2% sobre o segundo trimestre deste ano e queda de 4,3% sobre o terceiro trimestre de 2016. No cobre, a produção atingiu 118,8 mil toneladas, aumento de 6,6% sobre julho-setembro de 2016. Já no carvão a alta foi de 83% com a produção atingindo 3,2 milhões de toneladas no terceiro trimestre.

Fonte: Valor